sexta-feira, 21 de maio de 2010

Exemplos de Poesias Palacianas

1. " Que meus olhos partays
em qual quer parte questeys,
em meu coraçam ficays
e nele vos converteys.
Este é o vosso luguar.
Em que may eta vos vejo,
por que nam quer meu desejo
que vos dy passays mudar.
por isso que partays,
em qual quer parte questeys
em meu coraçam ficays,
pos nele se converteys. "

(Rui Barbosa)

Neste texto, tomamos o envolvimento íntimo do autor através de sua confissão amorosa, em que chega a afirmar que mesmo com amada se ausentando, ela continuará presente, pois ela se transformara no próprio coração do poeta. Notamos, ainda, uma linguagem simples e grafia mais próxima de hoje, mas preserva-se a coita amorosa trovadoresca.


2. " Senhora, partem tão tristes

meus olhos por vós, meu bem,

que nunca tão tristes vistes

outros nenhuns por ninguém.

Tão tristes, tão saudosos,

tão doentes da partida,

tão cansados, tão chorosos,

da morte mais desejosos

cem mil vezes que da vida.

Partem tão tristes os tristes,

tão fora d’esperar bem,

que nunca tão tristes vistes

outros nenhuns por ninguém. "

(João Ruiz de Castelo Branco)

João Ruiz de Castelo Branco viveu na segunda metade do século XV. É um dos inúmeros poetas do Cancioneiro Geral. A “Cantiga sua partindo-se” é, merecidamente, um dos mais conhecidos poemas do período humanista. A delicadeza expressiva dessa pequena cantiga bastou para perpetuar o nome de seu autor.


3. " Antre tremor e desejo,
Vã esperança e vã dor,
Antre amor e desamor,
Meu triste coração vejo.

Nestes extremos cativo
Ando sem fazer mudança,
E já vivi d'esperança
E agora vivo de choro vivo.
Contra mi mesmo pelejo,
Vem d'ua dor outra dor
E d'um desejo maior
Nasce outro mor desejo. "

(Sá de Miranda)

Postado por: William Araújo

4 comentários:

  1. ai willian dei uma passadinha por aqui

    ResponderExcluir
  2. eh muito estranho ler poesias assim ..

    ResponderExcluir
  3. muito estranho mesmo,porque é da antiguidade então nao da pra entender muita coisa assim..

    ResponderExcluir